«

»

fev 16

A canção de Maria Madalena: ainda bem que um dia encontrei você.

aos pes da cruz 1Ela já havia passado por momentos difíceis. Na sociedade em que vivia, somente o fato de ser mulher, já a tornava uma marginalizada. Além disso, espíritos imundos habitavam o seu corpo.

Mas aquele dia era o pior de sua vida. Diante dela, com o corpo dilacerado, estava a única pessoa que a valorizava como pessoa, independentemente do que falavam a respeito dela. Ele não a via como os outros a viam. Seu olhar era de ternura e resgatava-lhe toda a dignidade perdida.

Ela percebia as dores que ele sentia. Dores na carne e dores na alma. Essas dores lhes eram familiar. Antes de ter se encontrado com ele, ela sentira essas dores várias vezes.

Ficou ali perto dele, lembrando de que quando o povo a julgava sem nenhuma misericórdia, muitas vezes não eram só as vozes que a faziam sentir dor, mas o peso do julgamento chegava-lhe ao corpo. Mas ela sabia, que mesmo que o corpo doesse, a alma sim, era a que sentia mais dor.

Ela se lembra então do momento do encontro com aquele homem. Ele era diferente de todos os outros homens. Enquanto ninguém dava nada por ela, fazendo-a desacreditar dela mesma, ele agiu de forma diferente e a libertou.

Acostumada à solidão, ela agora passou a acompanha-lo por onde ele fosse.

Olhou mais uma vez para ele, e se sentiu impotente. Pensava consigo mesmo: “ele que me trouxe a vida, agora caminha para a morte, e eu não posso fazer nada”.

Em um esforço gigantesco, ela se lembra de uma canção, que falava um pouco sobre o seu encontro com ele, de como era sua vida, e como sua vida mudou após este encontro.

Tentando não chorar, ela então se põe a cantar:

“Ainda bem
Que agora encontrei você
Eu realmente não sei
O que eu fiz pra merecer
Você

Porque ninguém
Dava nada por mim
Quem dava eu não tava a fim
Até desacreditei
De mim

O meu coração
Já estava acostumado
Com a solidão quem diria
Que ao meu lado você iria ficar

Você veio pra ficar
Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

O meu coração já estava aposentado
Sem nenhuma ilusão
Tinha sido maltratado
Tudo se transformou

Agora você chegou
Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim”

Ele escuta a música, comovido pela mudança realizada na vida dela, tem total certeza de que sua missão havia sido cumprida, dá um grito com toda a força de sua voz e diz:

Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito

Ela então não contem o choro, derrama as lágrimas de uma saudade anunciada, mas ao mesmo tempo, se sente feliz, pois ele, ao resgatar a sua dignidade, resgatou a dignidade de todas as outras mulheres marginalizadas.

Clique aqui para ouvir a música

3 comentários

  1. paty

    Lindo demais. Parabéns pelo texto.

  2. claudia

    Muito lindo…!!

  3. Hosting

    No primeiro dia da semana, bem cedo, estando ainda escuro, Maria Madalena chegou ao sepulcro e viu que a pedra da entrada tinha sido removida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


9 − = três