«

ago 18

Apocalipse de João e Marisa Monte

Num êxtase, exilado na ilha de Pátmos, ele vê um lugar que difere do lugar onde vive. Seu lugar é de dor, dúvida e perseguição.

Idoso e cansado, é natural que deseje um lugar calmo, um vilarejo, onde de sua casa, possa ver o horizonte.

Ele vê o novo céu, a nova terra, lugar onde não há divisões, onde o mar deixa de existir e derruba as fronteiras. Um lugar desses, não merece outro nome: paraíso, um vilarejo onde areja um vento bom.

Lá vivem os heróis. Os que um dia que deixaram os lares de suas mães, para que ao longo do caminho, sinalizassem com suas vidas o Reino de Deus.

Neste vilarejo, lugar de aconchego, há casas cujos tetos são brancos como as vestes brancas de uma grande multidão que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas.

Toda gente cabe lá, Palestina ou Sangri-lá.

O tempo é o Eterno, pois lá o tempo espera. Lá é sempre primavera, estação do renascimento, da nova vida. Lugar que não necessita de sol nem lua para que resplandeça. O Cordeiro a ilumina.

Suas portas e janelas estão sempre abertas. A cidade está adornada com flores que enfeitam caminhos, vestidos e destinos.

Lá existe o verdadeiro amor para quem entrar na cidade.

Ele tanto pode andar, quanto voar e da varanda de sua casa ouve uma música que poderia ser mais ou menos assim:

Há um VILAREJO[1] ali

Onde areja um vento bom
Na varanda quem descansa
Vê o horizonte deitar no chão
Pra acalmar o coração
Lá o mundo tem razão

Terra de heróis, lares de mãe
Paraíso se mudou para lá
Por cima das casas cal

Frutas em qualquer quintal
Peitos fartos, filhos fortes
Sonhos semeando o mundo real
Toda a gente cabe lá
Palestina, Shangri-lá

Vem andar e voa
Vem andar e voa
Vem andar e voa

Lá o tempo espera
Lá é primavera
Portas e janelas ficam sempre abertas
Pra sorte entrar
Em todas as mesas pão

Flores enfeitando
Os caminhos, os vestidos
Os destinos e essa canção
Tem um verdadeiro amor
Para quando você for.

Eu sei que eu posso estar sonhando, mas eu sei que eu não sonho sozinho.

[1] Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Marisa Monte, Pedro Baby

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


cinco − 2 =