«

»

fev 27

As marcas da vida e as marcas de Jesus.

images

No primeiro capítulo do evangelho de Mateus encontramos o registro dos ancestrais de Jesus. Este é um texto bastante ignorado pelo menos até o verso 17.

Talvez as pessoas que ignoram entendam que ler uma sequência de “fulano gerou a sicrano” é por demais enfadonho. Entretanto, no verso 6 há uma declaração que considero bastante importante: “E Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi gerou a Salomão da que foi mulher de Urias.”

David se torna pai de Salomão, não de sua mulher, mas “da que fora mulher de Urias”

O que compreendo aqui, é que o redator de Mateus, deixa na genealogia do filho de Deus, do Cristo, uma marca de um de seus ancestrais. Esta marca, não apontava para os grandes feitos do grande Rei David, mas para um momento de total debilidade e fraqueza. Um momento que o destitui de toda a sua glória de grande rei e o remete totalmente à sua condição humana. Mesmo sendo um grande rei, ele não passa de um pecador como qualquer outro ser humano.

Por um período de tempo, Davi faz como qualquer ser humano quando erra: esconde seu erro. Mais tarde, ele compreende que seu silêncio é a causa de seu corpo ser consumido pelo pecado e escreve: “Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio.” E ainda completa: “Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado.”

O que precisamos aprender é que como seres humanos, por vezes somos marcados por atitudes erradas que tomamos. Essas marcas produzem em nós dores que nos atingem fisicamente, psicologicamente e espiritualmente.

Temos que evoluir dos nossos erros, deixando as marcas da vida, compreendendo o quanto elas nos fazem mal e confessar os erros, de modo que o Eterno possa perdoar a maldade de nossos pecados.

David não está na genealogia de Jesus porque pecou, mas porque não permaneceu no pecado. Seu arrependimento e confissão, e não o seu ato pecaminoso é que fizeram dele um homem segundo o coração de Deus.

Ao se tornar um dos ancestrais de Jesus, o Cristo, David participa da vida daquele que também seria marcado. As marcas de Jesus, não só as da sua morte, sobretudo as marcas da sua vida, fazem das pessoas com marcas de dores, novas pessoas com novas vidas Nele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


seis × = 30