O evangelho e o Evangelho

“Porque não me envergonho do Evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.”  Romanos 16.1     Estamos vivendo uma era onde o evangelho não produz nada do que o Evangelho deveria produzir (A letra minúscula do primeiro serve para diferenciar do segundo).  Isso simplesmente acontece porque o evangelho pregado hoje não é poder de Deus. Fazendo um breve passeio pelas livrarias evangélicas on-line, podemos encontrar títulos que refletem essa triste realidade. Alguns chegam a ser cômicos: Livro de receitas da mulher vitoriosa; 1001 chaves de sabedoria; Como ser abençoado; Sete passos para a vitória pessoal; A última grande transferência de riquezas; Aprenda a viver como filho do Rei; entre outros lixos literários. A realidade é que esses livros servem ao que se propõe: fazer com que seus editores e escritores ganhem dinheiro.

O verdadeiro Evangelho não negocia com este tipo de pensamento.  O verdadeiro Evangelho ensina que o pecador arrependido, tem sua vida totalmente transformada, e não importa se ele cozinha bem, é abençoado, tem vitória, riquezas ou qualquer coisa desse tipo.

Acostumamos-nos a pregar um evangelho superficial onde para ser evangelho basta somente “aceitar Jesus em seu coração”, quando efetivamente viver o Evangelho é mais que isso. O Evangelho ensinado por Jesus produz mudanças tão profundas que aquele que o aceita, vive uma vida inteira de percepção de seu pecado e  necessita de arrependimento. Este arrependimento produz frutos visíveis de vida transformada e transformadora.

A evidência de uma mudança de vida através das verdades do Evangelho se dá quando vemos o fruto produzido pelo Evangelho nessa vida.  No evangelho moderno, basta que se aceite Jesus no coração e tudo ficará bem. Desta forma, cresce a cada dia uma geração de evangélicos que não conhecem o que é o Evangelho, por mais absurdo que isso possa parecer.

Imaginem a catástrofe que seria se as escolas de aviação formassem pilotos que não fizessem a menor idéia do que é pilotar. Ou se as escolas de medicina formassem médicos que não tivessem o menor conhecimento do que é ser médico. O fato é que as igrejas evangélicas modernas formam membros que não fazem a menor idéia do que é ser evangélico ou do que é conhecer o evangelho. Todos querem ir para o céu, mesmo sem saber sequer o que significa isso. E essas pessoas gerarão outras pessoas com esta base de conhecimento de Deus e do Evangelho.

A fórmula que usamos para entender alguém como salvo está errada e se a fórmula está errada os resultados serão errados também. O Evangelho é poder de Deus para a salvação daquele que crer. Crer implica em confiar e ter fé.

O evangelho da igreja moderna e seus evangelistas estão na categoria daqueles que “tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.”

Crer, não implica em somente aceitar Jesus no coração, mas inserir Jesus no centro de nossas vidas. Crer não é fazer de Jesus um acessório que acompanhará nossa vida onde quer que estejamos, mas é fazer de Jesus o motivo da nossa própria vida e fazer de Jesus o motivo de nossa vida significa que sem ele como centro da nossa vida, melhor seria que morrêssemos.

Nele, que ensinou o Evangelho, para que o poder do Evangelho nos livrasse do evangelho pregado atualmente.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


sete − 4 =